VIAGEM PARA ILHA DO MEL:

Enquanto escrevo esse post para vocês, meu coração chora de saudade da Ilha da Aventura! Mas a vida é assim mesmo, temos responsabilidades quase todos os dias, trabalhamos, estudamos, nos dedicamos em cada coisinha e quando chega o fim de semana é sempre bom fazer algumas ~loucuras~ mesmo que essas loucuras lhe custem quase-ficar-de-castigo-pra-todo-o-sempre!

Se vocês estão perdidos no que eu estou dizendo, vou explicar: Domingo passado (24.08) eu e meu amigo resolvemos ir visitar uma cachoeira que fica em Campo Magro. Nos encontramos por volta das hrs 8:00 e lá íamos nós a caminho da tal cachoeira.. Porém, meu amigo (o nome dele é Oscar tá gentee) disse que era quase impossível chegar sem ter carro. Depois de falar isso eu chorei por dentro pensando que nunca iria curtir um domingo de verdade. Então, ali dentro do ônibus decidimos em cima da hora e fomos para a rodoviária comprar nossas passagens para Paranaguá. De lá nós seguiríamos para Pontal do Paraná e só então atravessaríamos para a Ilha do Mel <3


O ônibus que leva a galera de Paranaguá até o trapiche da Ilha custa exatamente 4,70. Aproveitamos que estávamos na rodoviária de Paranaguá e já compramos nossas passagem de volta para Cwb. Voltaríamos no ônibus das 20:00. (em minha defesa eu não queria voltar ok?!). A viajem até o trapiche foi tranquila e levou cerca de 1h30. Chegamos em Pontal e pagamos para atravessar de barco- que custou 30,00 R$ ida e volta. Escolhemos a praia de Brasília para visitar. (eu já conheço a praia de Encantadas).

Chegamos em Brasília umas 14:00 hrs e aproveitamos o lindo dia para andar e visitar alguns picos irados de lá! Fomos até o Farol, tiramos váaarias fotos, conhecemos algumas praias, andamos bastante e ainda fizemos um lanche. Só não tivemos coragem de entrar na água que estava muito gelada (eu sei, frescura..). Mas de resto foi uma das melhores viagens que eu fiz junto com o Oscar. Mas a história não termina assim..

Voltamos para Pontal na última barca- das 18:00 hrs e ficamos lá no trapiche mesmo, junto com uma galera (ah, tinham vários australianos na Ilha) esperando o ônibus que nos levaria de volta pra casa, ou para esta babilônia. Quando o ônibus chegou, foi então que meu querido amigo tirou nossas passagens da carteira e viu algo que mudaria tudo: NOSSAS PASSAGENS FORAM VENDIDAS PARA O DIA 25- OU SEJA, NA SEGUNDA-FEIRA AS 20:00 HRS DA NOITE. Depois que ele me disse isso, pensei que morreria de tão nervosa que fiquei. Conversamos com o motorista daquele ônibus e ele nos deixou na rodoviária de Pontal para que trocássemos nossa passagem, já que aquele ônibus estava lotado. Nossa esperança era conseguir trocar as passagens para outro ônibus, mas do mesmo dia.

Coitado de nós, pobres e inocentes. Justo no domingo todos, eu digo T-O-D-O-S os ônibus sentindo Curitiba estavam lotadinhos! O que aconteceu? Tivemos que dormir em Pontal e avisar a família da nossa trip e ainda dizer que voltaríamos apenas na segunda de manhã. A aventura começou no momento em que a atendente na rodoviária disse que não tinha nenhum ônibus com vaga para Curitiba e que teríamos que dormir ali mesmo. Fomos pedir carona no meio da estrada- mas ninguém parou. Depois andamos a praia inteira em busca de uma solução. Fomos pedir emprego em uma pizzaria dali em troca de 20,00 R$ que pagaria a pousada naquela noite. O gerente da pizzaria disse que não tinha muito serviço naquele momento, mas ainda assim nos deu a grana que nos salvaria! Um beijo pro gerente ;P

Fomos até a tal pousada dos 20,00 R$ e explicamos nossa situação triste, porém muito aventureira ao dono e sua filha. Logo de cara a mulher riu da nossa história e disse que tinha um quarto vago para nós. Mas o preço justo seria além do que tínhamos naquela hora. Mesmo assim, conseguimos dar um jeito e dormimos no tal quarto. Vocês acreditam que tinha até televisão e um ótimo chuveiro? Era mais do que eu queria naquele momento. 

Na manhã seguinte, acordamos bem cedo para não ter perigo de perder a hora do ônibus (ele sairia às 8:00) e fomos devolver a chave do quarto para o senhor. Ele nos mimou com uma xícara de café com leite e pão quentinhooo. Ai gentee foi muito amor! Depois disso nos despedimos da praia e embarcamos no ônibus que nos traria de volta a realidade... E que realidade!

Foi uma aventura porque:
  • Nós não tínhamos mais dinheiro, pois gastamos tudo na Ilha
  • O senhor e sua filha foram legais e muito gentis em nos deixar dormir por 20,00 R$, sendo que o valor de ambos seria uns 40,00 R$
  • O gerente da pizzaria teve um papel muito importante
  • A atendente na rodoviária foi muito parceira em tentar nos ajudar, encontrando algum ônibus que pudesse nos trazer de volta
  • Nós estávamos sem comida e sem dinheiro
  • Pensamos em vir andando até Curitiba
  • Pensamos em ir andando até a praia de Guaratuba e depois conseguir uma carona até Curitiba
  • Pedimos carona em Pontal mas ninguém deu =(
  • Minha família não sabia que eu estava na praia, já que eu sai de casa dizendo que iria para cachoeira (isso quase fez com que eu ficasse de castigo)
  • Nós iriamos dormir na praia (siiiiiiiiiiim)
  • E por fim, foi uma aventura porque tanto eu quanto meu amigo gostamos de praia e valeu cada momento de perrengue. <3

Nenhum comentário:

Postar um comentário